Você já parou pra pensar em qual parto iremos optar no final de sua gestação?

Existem dois tipos de parto: o cirúrgico (a cesárea/cesariana) e o parto vaginal (ou natural). Os partos vaginais podem ser diferenciados em: partos vaginais cirúrgicos – que acontecem normalmente em hospitais com intervenções médicas como anestesia, aplicação de ocitocina (hormônio sintético que induz as contrações uterinas), episiotomia (corte vaginal), etc.; e partos vaginais naturais – apenas com intervenções extremamente necessárias.

Estamos partindo do ponto em que toda mulher deve conversar com seu obstetra.

O parto normal pode ser realizado em posições variadas, como deitada, de cócoras ou utilizando uma cadeira de parto. Há também a possibilidade de ser realizado na água, em uma banheira apropriada. Quanto aos locais, em maternidades há mais recursos de assistência para a mãe e o recém-nascido, mas há quem opte por ter o bebê em casas de parto ou no próprio domicílio (o que não recomendo, pois nunca sabemos quando iremos necessitar de um apoio de um neonatologista, médico pediatra responsável por

UTI dos recém Nascidos).

Mesmo assim, nem sempre o parto normal é possível. Nesses casos, a cesariana é uma cirurgia decisiva para garantir a segurança da

mãe e do bebê. A operação consiste em um corte na parede abdominal e no útero. O bebê é retirado através desta abertura, que é fechada com pontos. A cesárea é uma cirurgia e, por isso, a recuperação da mãe é mais lenta que a do parto normal. Mas, atualmente, é considerado um procedimento bastante seguro. No entanto, o melhor tipo de parto é aquele em que tanto a mãe quanto o bebê

são submetidos às melhores condições possíveis. Por isso, o pré-natal é importante, pois fornece informações essenciais para

ajudar o médico a decidir junto com o casal a opção de parto mais adequada para aquela gestante em particular e seu bebê.

Existem dois tipos de parto principais: o normal e o cirúrgico. Mas você sabia que, em cada um deles, existem técnicas diferentes e que proporcionam experiências diferentes para a mãe e o bebê?

Dr. Cláudio Magoga

CRM 127.165

Deixe uma resposta